Espinafre é aliado contra o câncer e protege o cérebro

Emprego para Atendente
28 de novembro de 2016
Emprego para Balconista, Operadores(as) de caixa, Gerente de Farmácia
29 de novembro de 2016
Foto Divulgação

Foto Divulgação

Veja os outros benefícios deste alimento e quais os riscos do consumo errado ou em excesso

O marinheiro Popeye foi o garoto-propaganda do espinafre nos desenhos animados. Após engolir uma porção da verdura, ele se tornava invencível e era capaz de salvar a Olivia Palito do vilão fortão Brutus. Certamente Popeye foi muito saudável também, evitando as mazelas do envelhecimento e de doenças provenientes de uma dieta pobre em bioflavonoides e muitos outros nutrientes encontrados no espinafre. Pesquisas recentes têm destacado como estes nutrientes funcionam para proteger a nossa saúde.

Nitroglicerina nutricional

O espinafre é um dos alimentos mais nutritivos presentes na natureza, com poucas calorias e muitas vitaminas. Uma xícara de espinafre cozido no vapor contém meras 40 calorias, e quase todo o manganês e folato que o seu corpo precisa diariamente. O espinafre contém mais proteínas do que outras hortaliças e um alto teor de fibra, o que ajuda a desintoxicar e limpar o trato intestinal.

Vitaminas e minerais

Ele é rico em ferro (importante para a oxigenação do sangue), cálcio, magnésio e potássio, participam da formação dos ossos e dentes, saúde muscular e prevenção de câimbras. Também é fonte de vitaminas: A (olhos e pulmões), complexo B e ácido fólico (energia e crescimento muscular), C (imunidade e resistência a infecções), E (protege o sistema cardiovascular) e K (coagulação e ossos fortes). Uma xícara da verdura cozida fornece toda a quantidade de vitaminas A e K que uma pessoa precisa por dia, e quase 40% de sua necessidade de magnésio.

Energia, muita energia!

O espinafre é a mais rica fonte vegetal de coenzima Q10, um composto presente nas mitocôndrias, o centro de produção de energia das células. A CoQ10 reforça o sistema imunológico e é um antioxidante que neutraliza os radicais livres, o que contribui para a longevidade. Quem também soma para alavancar o vigor é o ferro presente no espinafre, parte fundamental de uma enzima (NADH) necessária para a produção de energia e melhora do metabolismo.

Antioxidantes anticâncer

O espinafre contém mais de uma dúzia de compostos flavonoides que trabalham juntos como antioxidantes para nocautear as células cancerígenas. Estes flavonoides neutralizam os radicais livres no corpo e ajudam a prevenir o câncer de ovário, mama, próstata e cólon. Os fitoquímicos presentes no espinafre afetam a sobrevivência de células de câncer e inibem a inflamação, que faz parte dos processos básicos do crescimento do câncer.

Amigo do coração

O espinafre é um excelente promotor da saúde cardiovascular. Sua ação antioxidante ocorre através da vitamina C e do betacaroteno, que trabalham juntos em prol do coração e do sistema circulatório, impedindo a oxidação do colesterol. O colesterol oxidado é um perigo para o sistema cardiovascular, contribuindo para o endurecimento e estreitamento das artérias coronárias. Uma porção de espinafre contém 65% da necessidade diária de folato, que neutraliza a homocisteína, uma proteína nociva que aumenta a chance de enfartar.

Cérebro poderoso

O combustível do marinheiro Popeye melhora o funcionamento cerebral e protege contra o envelhecimento prematuro dos neurônios, evitando os efeitos degenerativos da oxidação no cérebro. Os pesquisadores descobriram que se alimentar com espinafre ajuda a proteger o cérebro de danos dos radicais livres e do declínio da capacidade cognitiva relacionado à idade avançada. O alto teor de vitamina E da folhosa verde-escura também contribui para driblar a neurodegeneração cerebral.

Antinutrientes

O espinafre contém substâncias bociogênicas, de ocorrência natural em alguns alimentos, e que podem interferir com o funcionamento da glândula tireoide. O cozimento ajuda a inativar estes compostos, e o consumo moderado não traz nenhum problema.

O espinafre contém purina e um consumo exagerado (mais de três vezes por semana) pode levar ao acúmulo de ácido úrico no organismo de algumas pessoas. Gota e cálculos renais de urato são dois exemplos de problemas relacionados ao consumo excessivo de purinas. Para os que têm gota ou ácido úrico elevado ele é contraindicado.

FONTE: minhavida.com.br